Acidentes

Servente embriagado atropela mulher de moto, bate em carro parado e derruba portão de residência

11 Fev 2019
41

Um servente de pedreiro de 37 anos, morador no bairro Águas Claras, foi preso em flagrante acusado de embriaguez ao volante. Ele provocou uma série de acidentes no bairro Paraíso, em Araçatuba, e tentou fugir a pé, sendo detido por populares até a chegada da Polícia Militar. O acusado sofreu ferimentos ao bater o carro na grade uma residência, e está internado na Santa Casa.

O caso aconteceu por volta de 11h30 deste sábado. De acordo com a Polícia, o servente seguia com um Corsa Classic pela rua Marcílio Dias, sentido centro bairro, e na altura do número 1.800, atropelou uma estudante de 23 anos que seguia de moto pela mesma via. O homem tentou fugir sem prestar socorro e na arrancada ainda bateu na lateral de um veículo Fox que estava estacionado no local.

O acusado entrou pela rua São Fidélis e no cruzamento com a Humberto Bergamaschi, perdeu o controle de direção e bateu na grade de uma residência, que acabou sendo parcialmente derrubada devido a colisão. O homem sofreu ferimentos na face, desceu do carro e tentou fugir a pé.

Ele estava com sinais de embriaguez e muito agressivo. Populares conseguiram dominar o servente até a chegada da Polícia Militar.

Ele realizou o teste do etilômetro que resultou em 1,04 miligramas de álcool por litro de ar alveolar, índice considerado muito alto por especialistas.

O homem contou que passou a noite bebendo e antes do acidente havia ingerido mais cinco latões de 500 ml de cerveja. Ele está detido em flagrante, internado na Santa Casa com escolta policial, e ao ter alta será encaminhado para audiência de custódia.

Fiança de R$ 10 mil

O juiz Emerson Sumariva Júnior arbitrou fiança de R$ 10 mil para que o preso possa responder em liberdade pelos crimes que praticou. Enquanto o valor não for recolhido, o indiciado permanecerá preso.

“Embora tenha praticado tais condutas graves, nossa legislação é frouxa e dificulta o encarceramento do autuado. Porém, aplicando a lei que temos, concedo liberdade provisória, mas fixo como medida cautelar uma fiança no valor de R$ 10 mil, sendo o valor suficiente para cobrir os prejuízos que causou. Somente após o recolhimento da fiança, expeça-se o alvará de soltura; enquanto isso deverá permanecer preso cautelarmente”, escreveu o juiz, que está no plantão judiciário, neste domingo (10), em Araçatuba.




Motorista é preso com 500 kg de maconha na Euclides da Cunha
Docentes de Administração do Unifunec participam de formação