Polícia

Menina de 14 anos é morta a facadas por vizinho

19 Jan 2019

A adolescente Julia Maria de Lima Barbassa Mendes, de apenas 14 anos, foi assassinada a facadas na manhã deste sábado (19), em Araçatuba. O crime ocorreu na rua Cláudio Dionísio Sanches de Souza, no bairro Água Branca, onde a vítima morava.

A garota chegou a ser socorrida por familiares, mas o óbito foi constatado no hospital da Unimed. A casa onde ocorreu o crime está preservada para perícia do IC (Instituto de Criminalística).

O principal suspeito do crime é um vizinho, identificado como Daniel Gaspar Barbosa, 33 anos. Ele é foragido da penitenciária de Bauru. Daniel tem antecedente criminal por tráfico e homicídio.

Conforme o que foi apurado no local, o suspeito pulou o muro do fundo da casa da adolescente e a surpreendeu no sofá da sala, onde ela dormia. Há indícios de que o agressor tentou estuprar a menina.

Ele desferiu pelo menos cinco facadas na cabeça, pescoço, e abaixo da axila da garota. A polícia também encontrou sinais de estrangulamento.

Após o crime, o agressor fugiu do bairro pulando muros de residências vizinhas. Conforme testemunhas, ele teria entrado em uma mata logo no final da rua. Revoltados, moradores se uniram para procurar pelo autor do crime.

O helicóptero Águia também foi enviado ao local para tentar localizar o criminoso. Até por volta das 12h50, ele não havia sido encontrado. As buscas continuam.

No momento do crime, a mãe estava trabalhando em um salão de beleza que fica na frente da casa. Ela escutou os gritos da filha e chegou a ver o acusado pulando o muro para fugir.

Ao chegar na sala, a mãe encontrou a filha ensanguentada ainda no sofá. A menina foi levada para o hospital da Unimed, onde chegou sem vida.

O corpo da vítima foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para exame necroscópico. O laudo vai apontar a quantidade de facadas e os órgãos atingidos.

Moradores do bairro compartilharam a foto do acusado do crime em grupos de WhatsApp na tentativa de localiza-lo.

De acordo com vizinhos, a menina não tinha nenhuma relação de amizade com o suspeito.

Daniel morava na mesma rua, a cerca menos de 100 metros da casa da adolescente. Logo pela manhã, ele foi visto na rua e chegou o cumprimentar o pai e o irmão da garota quando estes saíram para o trabalho.



Vítima de acidente na região é sepultada vestida de noiva
Unifunec oferece dois novos cursos de Pós-Graduação