Região

Correntista fica milionário por dois dias, mas descobre erro de banco

07 Jan 2019
95

"Sou rico. Não trabalho mais." Essa foi a reação do rio-pretense administrador de condomínios Éder Lima Rodrigues, 34 anos, ao ver R$ 8 milhões depositados em sua conta dois dias depois do Natal, no último 27 de dezembro. Porém, a felicidade de não se preocupar mais com contas e boletos para pagar pelo resto da vida acabou dois dias depois, quando o banco Safra, responsável pelo débito indevido, ligou para ele solicitando a autorização de estorno do valor de sua conta.

"Tirei o extrato da minha conta e tinha R$ 8 milhões. Eu só pensei que era rico. Não tinha que trabalhar mais. Achei que Papai Noel tinha passado na minha conta e deixado esses R$ 8 milhões. Puxei o extrato três vezes para ver se eu não estava sonhado", contou Éder, brincando com a situação inusitada.

Correntista há dois anos do banco, ele disse que isso nunca havia acontecido. "Quando saí do banco eu fiquei quieto e dois dias depois o banco entrou em contato comigo para fazer a devolução. Eles viram que tinham acontecido o erro, justificaram que foi um erro de sistema e que aconteceu com vários clientes pelo Brasil. Teve gente que recebeu R$ 100 milhões", afirmou o administrador.

Para estornar o dinheiro da conta de Éder e de outros clientes pelo Brasil, o banco pediu autorização para fazer o estorno. "Como caiu na minha conta já era patrimônio e eles não poderiam mexer no dinheiro. Até me pediram para não dar entrevista, mas só se eles deixassem o valor na conta", finalizou Éder.

Segundo Éder, para chegar ao valor de R$ 8 milhões ele teria que trabalhar muitos anos. "Na hora eu só pensava que iria embora para o sítio e nem para a cidade eu voltaria mais", brincou.

Procurado, o banco Safra ainda não respondeu os questionamentos feitos pela reportagem.


Polícia investiga morte de casal encontrado em quarto de resort na região
MS corre atrás de médicos cubanos para ocupar vagas não preenchidas por brasileiros